ABOUT                       RECIPES                       LIFE                       INSTAGRAM                       FACEBOOK                       PINTEREST



29.4.16

A primavera, finalmente.



















Gloriosa primavera.
Finalmente começamos a sentir-te. E sabes tão bem!
Ainda não vais segura, mas já vais formosa.
Confesso que ainda me surpreendo com a tua luminosidade ao fim do dia. Depois deste inverno que parecia não querer acabar, ainda estranho sair de casa sem casaco grosso ou guarda-chuva. Mas, como dizia Fernando Pessoa nos seus tempos de publicitário sobre uma conhecida marca de refrigerante, "primeiro estranha-se e depois entranha-se". E eu cá estou, pronta para usufruir das coisas boas da época entranhadas nos meus dias: a temperatura amena, a roupa mais leve, o semblante desanuviado das pessoas na rua, a vontade de planear saídas e atividades com os rapazes, um café numa esplanada, as receitas com fruta da estação.

Esta galette foi a receita que levei esta semana ao programa Olá Maria, no Porto Canal (quem segue o Lume Brando no facebook já a tinha visto, numa foto de telemóvel!) e é um brinde à minha estação do ano preferida, com morangos como protagonistas.
E apesar de rústica e tosca, esta tarte também pode ser um mimo para as mães, cujo dia se celebra já este domingo. Afinal, os filhos também nunca são perfeitos ;)


GALETTE DE MORANGOS MARINADOS EM BALSÂMICO

Para a massa:
100 g de farinha s/ fermento
50 g de farinha de amêndoa (amêndoa com pele moída)
50 g de manteiga fria partida em pedaços
1 colher de sobremesa de açúcar amarelo
1 ovo pequeno

Para o recheio:
500 g de morangos
2 colheres de sopa de vinagre balsâmico
4 colheres de sopa de açúcar amarelo
Uma mão cheia de amêndoas laminadas

Raspa de limão para polvilhar no final
Folhinhas de hortelã para decorar


No mínimo com uma hora de antecedência, lave, seque e tire os pés aos morangos, corte-os a meio e coloque-os numa taça juntamente com o açúcar e o vinagre balsâmico. De vez em quando mexa-os e envolva-os na calda.

Entretanto prepare a massa: coloque todos os ingredientes numa taça grande e amasse com as pontas dos dedos até obter uma massa moldável. Forme uma bola achatada, envolva em película aderente e leve a frigorífico durante cerca de 30 minutos.

Pré-aqueça o forno nos 160º ventoinha (ou 180º se o seu forno não tiver ventoinha).
Retire a massa do frigorífico e estique-a em forma de círculo sobre uma superfície enfarinhada e com a ajuda de um rolo de cozinha, deve obter um círculo grande (pode ser tosco e irregular, até tem mais graça!), com uma espessura de cerca de 2 mm, no máximo. Passe a massa com cuidado para um tabuleiro forrado com papel vegetal.

Escorra os morangos e espalhe-os na massa, deixando uma margem larga a toda a volta.
Dobre esta margem de massa para o interior da tarte.
Leve ao forno na posição médio cerca de 45 minutos. Uns 15 minutos antes de terminar a cozedura, espalhe algumas amêndoas laminadas e leve de novo ao forno.

Sirva morna ou fria polvilhada com raspa de limão, decorada com folhinhas de hortelã e acompanhada de iogurte natural, mascarpone ou natas batidas.

Nota: esta não é uma tarte muito doce, os mais gulosos talvez queiram polvilhá-la com um pouco de açúcar antes de ir ao forno.

Mais receitas de galettes:
Galette de figos, amêndoas e mel
Minigalette de legumes
Petit galettes de ameixa e framboesa
Galette de ameixas e framboesas




20.4.16

Almoço [delicioso] para 1.
















Se eu podia ser vegetariana? Podia. Se eu podia ser vegan? Não.
Seria muito, mas muito complicado, não poder comer ovos ou derivados do leite.
Se o tivesse de fazer por algum motivo sério de saúde, bom, lá teria de ser, mas a mudança iria ser bastante custosa, tenho a certeza.

Não poder comer uma omelete suculenta e rica, como esta, feita com ovos caseiros? Não quero sequer imaginar.

Ultimamente, tenho almoçado mais vezes em casa, sozinha, e se em muitos dias há sobras da noite anterior, de vez em quando tenho de improvisar algo de propósito (para não atacar os cereais ou as papas que ainda aparecem aqui por casa).

Esta omelete foi um dos pratos do dia desta semana e resultou num dos melhores almoços solitários de sempre. Rápida e deliciosa, recheada com os cogumelos shiitake prontos a comer da Casa do Chascada, um projeto de que já vos falei neste post.

Uma receita a repetir. Para um, dois, ou mais.

















OMELETE COM COGUMELOS SHIITAKE DE CONSERVA

2 ovos, preferencialmente caseiros
1 colher de sopa de salsa picada
2 colheres de sopa de leite
1/4 de uma cebola pequena picada finamente
Sal qb
Pimenta preta acabada de moer qb
2 colheres de sopa de cogumelos shiitake em azeite bem escorridos
Azeite para untar a sertã

Parta os ovos para uma taça média, junte o leite e bata muito bem com um garfo (o leite torna a omelete mais fofa).
Junte a cebola picadinha, a salsa também picada e tempere com sal e pimenta preta.
Unte uma sertã antiaderente com azeite (use papel de cozinha para passar o azeite e retirar o excesso; se a sua sertã tiver um bom revestimento e for mesmo antiaderente, poderá eventualmente saltar este passo).
Aqueça bem a sertã e verta os ovos. Vá vigiando, e quando já estiver cozida por baixo e já só restar uma camada fina de ovo líquido na parte superior, espalhe os cogumelos bem escorridos em metade da omolete e dobre sobre esta a outra metade, com a ajuda de uma espátula. Deixe cozinhar mais um pouco e retire com cuidado para o prato. Sirva com rúcula ou outra salada de verdes.

7.4.16

Saborear a vida.





















O leite condensado Nestlé faz parte das minhas memórias de infância, quando o comia às colheradas. 
Na adolescência, tive uma amiga ainda mais gulosa, que levava uma lata consigo sempre que tinha de passar uns dias fora: fazia um furo na lata, que guardava debaixo da cama, e ia bebendo sempre que as saudades da família apertavam.


Foi por isso com bastante prazer que aceitei o desafio da Nestlé, para criar uma receita que simbolizasse o lado mais doce da minha vida com o seu leite condensado Tradicional.
Para mim, um ‘dia doce’ é um dia passado em família. Os fins de semana prestam-se a esta doçura e foi para tornar o domingo ainda mais guloso, que fiz esta tarte e a levei para casa dos meus pais: o final perfeito de mais um animado almoço com três gerações à mesa.














TARTE DE LIMÃO E FRAMBOESA

1 lata de leite condensado Nestlé Tradicional
4 gemas
2 claras
180 g de bolacha Maria integral
90 g de manteiga amolecida
1 colher de chá bem cheia de cacau em pó
250 g de framboesas frescas + 100 g framboesas frescas ou congeladas
25 g de açúcar amarelo + 2 colheres de sopa
Sumo de 1,5 limões
Uma pitada de sal
Folhinhas de hortelã e raspas de chocolate preto para servir

Pré-aqueça o forno nos 180º.
Triture as bolachas grosseiramente, junte o cacau em pó e a manteiga amolecida e volte a triturar, envolvendo bem a manteiga nas migalhas de bolacha.
Forre uma tarteira com esta mistura, pressionando bem com os dedos.
Leve ao forno já quente cerca de 5 minutos, apenas para ‘prender’ a base de bolacha. Reserve.
Triture 100 g de framboesas frescas, junte as gemas e bata muito bem.
Passe esta mistura por um coador, para descartar as grainhas das framboesas - use uma espátula para pressionar a mistura contra a rede do coador, de forma a obter o máximo de líquido.
Verta o leite condensado para uma taça, junte-lhe a mistura de gemas e framboesas e o sumo de 1 limão. Mexa bem e verta por cima da base de bolacha (pode ser que não use o recheio todo, depende do tamanho da sua forma).
Espalhe algumas framboesas frescas e leve ao forno cerca de 15 minutos.

Entretanto, prepare o coulis de framboesa: leve ao lume 100 g de framboesas frescas ou congeladas com 25 g de açúcar amarelo (ou a gosto) e sumo de ½ limão. Deixe cozinhar em lume brando até as framboesas estarem bem desfeitas e terem largado o sumo, formando uma calda. Passe por um coador, para descartar as grainhas, pressionando com uma espátula, de forma a extrair todo o coulis. Deixe arrefecer e reserve até servir.

Para preparar o merengue, bata duas claras em castelo com 2 colheres de sopa de açúcar amarelo e uma pitada de sal até ficar bem firme (guarde as outras duas claras no frigorífico ou no congelador para futuras utilizações).
Coloque o merengue num saco pasteleiro e faça pequenos montes de merengue por toda a tarte. Queime com um maçarico de cozinha ou leve ao forno quente na posição grill durante cerca de meio minuto ou até os montinhos ganharem um pouco de cor (é muito rápido). Depois de arrefecida, leve ao frio.
Decore com folhinhas de hortelã, as restantes framboesas frescas e raspas de chocolate, e sirva acompanhada do coulis.